sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

{♥} Toki wo Kakeru Shoujo

Faz anos que assisti Toki wo Kakeru Shoujo, ou, em português, "A garota que saltava no tempo". Ele foi um filme que me marcou, e muito. Fuçando os arquivos do blog, descobri que tinha começado essa resenha (Em 08/03/14, nossa senhora) e a deixado em forma de rascunho. Resolvi mudar isso e finalmente falar um pouco desse filme incrível que eu amo tanto. 

Em Toki wo Kakeru Shoujo conhecemos a história de Konno Makoto, uma menina animada que passa seus dias jogando beisebol com seus dois melhores amigos, Chiaki e Kousuke. Ela é o tipo de aluna que sempre chega atrasada e não sabe bem o que quer fazer da vida.

Makoto e seus dois melhores amigos
Num dia ruim, em que tudo está dando errado, os freios de sua bicicleta param de funcionar, e, sem conseguir frear ao descer uma ladeira, ela acaba sendo atingida por um trem.

Quando a morte parece iminente e tudo parece estar perdido, porém, o tempo volta, e Makoto se dá por si caída com sua bicicleta na ladeira, um pouco antes da linha do trem.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Animes {Inverno/2018}

Hah. Tudo bem que já estamos em fevereiro, mas por que não, não é mesmo? Faz um bom tempo desde que eu comento o que estou achando dos animes da temporada. Enfim, vamos às minhas primeiras impressões. 

Vamos dar uma olhada...

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

{Movie} The Handmaiden

Já fazia um tempo que eu queria muito assistir The Handmaiden (Ah-ga-ssi, no original). Tudo porque, de acordo com a internet, era um filme que envolvia amor entre mulheres sem o cliché de sempre - o que, logicamente, me interessou bastante. O trailer também não deixou por menos, mostrando diversas cenas intensas e misteriosas cortadas pela metade. Hypada como nunca, parti para assistir ao filme. 

The Handmaiden (A Criada) é um filme coreano sobre uma jovem contratada para trabalhar como criada de uma rica herdeira que vive em isolamento numa mansão com seu tio e diversas empregadas. Inicialmente parecendo um conto apenas dramático, você logo descobre que a criada, Sookee, é na verdade uma ladra infiltrada que planeja dispensar sua ama, Hideko, e roubar sua fortuna.

No começo eu fiquei um pouco confusa sobre onde se passava o filme e qual era a origem dele. Isso porque The Handmaiden se passa nos anos 30, durante a ocupação japonesa na Coréia do Sul. Por conta disso, o idioma do filme é diversas vezes alternado entre o japonês e o coreano - o que achei extremamente interessante e lindo. A mudança entre as línguas sutilmente influencia diversas partes do filme, mostrando hábitos, aprendizado, níveis de respeito e afins. Vale muito a pena prestar atenção nesse detalhe ao assisti-lo. 

sábado, 6 de janeiro de 2018

Sinal de Fumaça e 2017

Ya-hello! Maah aqui pro famoso post anual do blog (Brincadeira). Estou numa daquelas fases que você lembra que o blog existe (Hoje saiu o primeiro episódio de Citrus, e eu acabei lembrando que eu tinha feito um post sobre o mangá em 2014), vem checar as coisas e fica meio emocionada com a existência dele. Também descobri que tinham dois comentários que eu não tinha respondido! Foi mal. Eu sou tão não-popular que às vezes simplesmente assumo que ninguém vem por aqui. 

P-pessoas? *Pega lencinhos para limpar as lágrimas que virão*

Brincadeiras à parte, também descobri que a maioria dos meus recentes leitores são dos Estados Unidos? Hi, guys? Are you really there? O que é meio engraçado e triste porque meus posts são em português. Mas acho que é minha culpa por dar ao blog um nome em inglês. Simplesmente genial. Bom, eu falo inglês, então poderia só fazer umas postagens em inglês pra ver se alguém comentava, mas... GUYS, ARE YOU REALLY THERE? Eu honestamente acho que as pessoas só vem parar aqui por acidente... Então... 

Bom, vamos ao que importa. Feliz ano novo! Nessa época de férias eu sempre aproveito pra assistir algumas coisinhas que estavam atrasadas. Dos animes que já tinham terminado e tirei o atraso, os mais divertidos de assistir foram Fukumenkei Noise, um anime de triângulo amoroso com música, e Made in Abyss, um anime sobre duas crianças (uma humana e um robô) que exploram um abismo. 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

{★} Omoi, Omoware, Furi, Furare

Faz tanto tempo que eu não posto no blog que, sinceramente, eu até esqueci como se faz. Bem, já que não sou - nem nunca fui - uma pessoa de muitos seguidores, suponho que ninguém tenha sentido minha falta (E, sinceramente, a parte boa de não ser popular e não ter seguidores é que você pode sumir de vez em quando). 

Ando postando umas coisinhas aqui e ali muito raramente pelo Depositário, blog que eu e outras duas amigas criamos há algum tempo. Provavelmente vou passar os posts de lá pra cá também, se eu resolver voltar a usar o blog mesmo. Mas hoje!!!! Eu resolvi vir aqui (e essa postagem se repetirá lá, cortando algumas coisinhas) falar pra vocês de Omoi, Omoware, Furi, Furare

Imagino que todos os fãs de anime/mangá shoujo já tenham ouvido falar de Ao Haru Ride, ou como é mais comumente conhecido, Aoharaido. Não? Bem. É um mangá - muito bom, por sinal -, que recebeu uma adaptação para anime, live action e inclusive está sendo publicado aqui no Brasil. O sucesso dele foi tremendo. Tipo, de verdade. Ele vendeu mais de 3 MILHÕES de cópias no Japão em 2015. Isso é bastante, gente. Né? Enfim! 

Mas coisas boas terminam, e Aoharaido acabou. Foi aí que Io Sakisaka, nossa Majestade, nos trouxe Omoi, Omoware, Furi, Furare, seu novo mangá. Apesar da nova obra não estar apresentando o sucesso do trabalho predecessor da autora, ele também é maravilhoso. E vocês deveriam lê-lo. E eu vou dizer por quê. 

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

{★} Orange

Então. Hoje saiu uma notícia que fez a internet (Pelo menos a parte otakinha dela) vibrar: A confirmação de uma adaptação para anime do mangá Orange, de Takano Ichigo.

Orange é um mangá de drama/romance que nos apresenta Naho, uma garota comum que, aos dezesseis anos, recebe uma carta escrita por ela mesma, dez anos no futuro. Essa carta solicita que Naho conserte erros que ela cometeu no tempo atual, e dá instruções de como consertá-los.

Inicialmente, Naho pensa que a carta é uma brincadeira de alguém, mas com a chegada de um novo aluno em sua classe, o qual a carta pede incessantemente para Naho observar com cuidado, ela passa a acreditar na mensagem que sua eu do futuro mandou, e tenta a todo custo seguir as instruções escritas nela.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

{♣} The 100

Era uma vez uma garota chamada Maah que assistiu o primeiro episódio de uma série, o detestou e apagou tudo relacionado a série de seu computador. O que ela não esperava era que, dois anos depois, uma amiga lhe falasse bem da maldita série e, querendo provar que não tinha errado em seu julgamento precoce, Maah voltou a assisti-la com seu namorado, desejando que ele a detestasse também e que ela pudesse esfregar isso na cara de sua amiga.

Maah estava errada. Maah estava muito errada. Maah atualmente pensa em fazer uma tatuagem da série, que, por acaso, se chama The 100.

The 100 se passa num mundo pós-apocalíptico em que, depois de uma grande guerra, todos os seres humanos da superfície da Terra foram extintos. Os únicos de nossa espécie que restaram foram os que estavam em estações espaciais, e estes se tornaram a esperança de um futuro para a raça humana.

Cem anos depois dessa grande guerra, as estações espaciais estão unidas, formando assim uma única grande estação espacial denominada Arca, onde as coisas não vão nada bem. A taxa de oxigênio está extremamente baixa, e em poucos meses, todos irão morrer. É aí que uma solução é encontrada pelo conselho: Enviar os presidiários menores de idade para a Terra, com o propósito de verificar se ela já é habitável. Na descida, porém, os jovens perdem a comunicação com a Arca, e acabam incapazes de informar duas grandes descobertas: que a Terra é habitável, e que eles não estão sozinhos nela. 

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

{★} Hoppe ni Himawari

Hey, guys! Apareci aqui de novo pra falar pra vocês de um mangá curtinho e super amorzinho que eu literalmente acabei de ler: Hoppe ni Himawari.

O mangá nos apresenta Yoneda, um menino gordinho e baixinho que admira o capitão do time de beisebol de sua escola, Arai, já que este sempre lhe salva quando outros garotos implicam com ele. Os dois estudam na mesma sala e se falam casualmente, mas isso muda quando Arai diz ter visto um fantasma, e pede para que Yone o acompanhe numa missão com o propósito de realizar um pedido da criatura.

E então, depois dessa sinopse, as perguntas vem, é claro: "Ah, Maah, então é sobrenatural?" Pém. Nope! Nada a ver, na verdade. No final, tudo não passava de uma mentirinha do Arai, que tinha outras intenções ao ir em uma missão com Yoneda. Intenções EXTREMAMENTE FOFAS, se me permitem dizer. 

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Botando o papo em dia

Ficar tanto tempo sem postar é uma desgraça, eu sei. A culpa é minha mesmo. A faculdade tem sua parte nisso, os jogos outra, aí namorado, livros, filmes, séries e mangás. MAS a culpa é minha, porque, well, apesar de ter visto várias coisas maravilhosas e que super mereciam review nesses últimos tempos, eu não resenhei nada. 

Preguiça: O meu mal 

Vim falar aqui sem muito propósito de AH, vou voltar a resenhar amanhã, mas mais como um lembrete/incentivo pra mim. Mas sei lá. Acho que tem isso de não ter muita gente que lê o blog blá-blá-blá, aí eu escrevo umas coisas e ninguém lê e u fico meio "aff, vou continuar enchendo só o saco dos meus amigos com recomendações mesmo". Sério, eu encho muito o saco recomendando coisas. Tenho consciência disso. 

Anyway! Até agora estou bem na faculdade (semana que vem é semana de provas, então vamos torcer pra eu me sair bem), comecei a namorar (!!!) um garoto incrível e que encara meus surtos (tanto por animes/séries como de paranoia/insegurança/depressão) sem pestanejar. Ele me dá muito orgulho todos os dias (♥).

Atualmente estou assistindo Noragami Aragoto (Da imagem ali em cima) e Haikyuu 2! <3333 Ah, e tirando o atraso de uns animus antigos que eu não terminei *COF COF*. AH, e tentando ver Yu Yu Hakusho (há meses tbh) e Mushishi

Também tô assistindo Scream Queens, terminei de assistir as duas temporadas de The 100 (é MARAVILHOSO), terminei o primeiro livro de Korra, li uma porrada de livros pra faculdade (incluindo Animal Farm - A Revolução dos Bichos em pt/br -, que é bom demais), li A Rainha Vermelha (é super legal), vi pelo menos 55 filmes (mantenho uma lista dos filmes que assisti junto com o Isaque - nome do meu bf lindo), reassisti um monte de coisas, joguei muito Hearthstone, feedei no LoL, joguei uma porrada de jogos de zumbi que me fizeram gritar pra cacete, joguei um monte de outros jogos que nem lembro eeeeeeeeeeee só? Acho que só! 

Kekkai Sensen é bom demais, vão assistir!

Enfim, vejo vocês por aí! 

sexta-feira, 31 de julho de 2015

{Yesterday's Book} Os 13 Porquês

Hey, guys! Lembram que eu disse que tinha lido dois livros nas férias e que muito provavelmente iria resenhá-los por aqui? Pois é! Os 13 Porquês, de Jay Asher, é um deles.

Os 13 Porquês nos apresenta Clay Jensen, que, ao chegar em casa depois de um dia de aula normal, depara-se com um pacote sem remetente endereçado para ele. Dentro do pacote, estão sete fitas cassete. Curioso com o conteúdo das fitas, Clay procura um rádio antigo em sua garagem, coloca a primeira fita dentro dele e aperta o play. Em seus ouvidos soa a voz de Hannah Baker, a garota de seu colégio que havia se suicidado há algumas semanas. Clay mal consegue acreditar, e, antes mesmo que possa assimilar o fato, Hannah anuncia que naquelas fitas estão os treze motivos pelos quais ela cometeu suicídio, e que quem recebeu as fitas é um deles. Confuso e assustado, Clay escuta as fitas uma a uma, na intenção de descobrir o que ele fez para Hannah.

Fazia tanto tempo que eu desejava esse livro e não o encontrava que quase não acreditei quando o vi na vitrine da Saraiva. Não tinha dinheiro para comprá-lo no dia, mas imediatamente enviei uma mensagem no Whatsapp para minha querida tia, e um tempo depois, ela apareceu com o livro para mim (Foi presente de aniversário! Awn!). A espera me trouxe um resultado satisfatório, pois gostei muito da leitura.